Alguns Exemplos de Lançamentos Contábeis

EXEMPLOS DE LANÇAMENTOS CONTÁBEIS
ATIVO: São todos os bens, direitos e valores a receber de uma empresa. Contas do ativo têm saldos devedores, à exceção das contas retificadoras (como depreciação acumulada e provisões para ajuste ao valor de mercado).
ATIVO CIRCULANTE: Dinheiro em caixa ou em bancos; bens, direitos e valores a receber no prazo máximo de um ano, ou seja realizável a curto prazo, (duplicatas, estoques de mercadorias produzidas, etc); aplicações de recursos em despesas do exercício seguinte.
ATIVO PERMANENTE: Grupo de contas que englobavam recursos aplicados em todos os bens ou direitos de permanência duradoura, destinados ao funcionamento normal da sociedade e do seu empreendimento, assim como os direitos exercidos com essa finalidade. O Ativo Permanente era composto de subgrupos: Investimentos, Imobilizado, Intangível e Diferido. A partir de 04.12.2008 tal terminologia foi extinta pela MP 449/2008, passando a integrar o Ativo Não Circulante.
ATIVO NÃO CIRCULANTE: São incluídos neste grupo todos os bens de permanência duradoura, destinados ao funcionamento normal da sociedade e do seu empreendimento, assim como os direitos exercidos com essa finalidade. O Ativo Não Circulante será composto dos seguintes subgrupos:
Ativo Realizável a Longo Prazo
Investimentos
Imobilizado
Intangível
PASSIVO CIRCULANTE: Obrigações ou exigibilidades que deverão ser pagas no decorrer do exercício seguinte; duplicatas a pagar, contas a pagar, títulos a pagar, empréstimos bancários, imposto de renda a pagar, salários a pagar.
PASSIVO EXIGÍVEL: São as obrigações financeiras para com terceiros. Contas do passivo exigível têm saldos credores.
PATRIMÔNIO LÍQUIDO: Valor que os proprietários têm aplicado. Contas do patrimônio líquido têm saldos credores, divide-se em: Capital social; Reservas de capital; Reservas de reavaliação, Reservas de lucros; e Lucros/Prejuízos acumulados.
PASSIVO NÃO CIRCULANTE: obrigações da empresa, inclusive financiamentos para aquisição de direitos do ativo não-circulante, quando se vencerem após o exercício seguinte.

1º Lançamento: (quando a empresa é aberta)
CAPITAL SUBSCRITO
Pela subscrição do capital dos Sócios “A” e “B”:
D – Capital Social a Integralizar (PL)
C – Capital Social Subscrito (PL)........................R$ (Valor Total)

2º Lançamento: (quando a empresa começa a funcionar)
Integralização do Capital Subscrito em Dinheiro dos Sócios “A” e “B”
C – Capital Social (PL)
D – Caixa (AC)............................R$ (Valor Total)

COMPRA A VISTA DE COMPUTADORES PARA A EMPRESA
D - Computadores
C – Caixa

COMPRA DE MÓVEIS PARA A EMPRESA 
D – Móveis e utensílios
C - Caixa

COMPRA A VISTA EM DINHEIRO DE MERCADORIAS PARA REVENDA
D – Estoque de Mercadorias (AC)
C – Caixa (AC).................................R$ (Valor Total)

COMPRA A VISTA COM CHEQUE DE MERCADORIAS PARA REVENDA
D – Estoque de Mercadorias
C – Banco Conta Movimento (AC)........................R$ (Valor Total)

COMPRA A PRAZO DE MERCADORIAS PARA REVENDA
D – Estoque de Mercadorias/Mercadorias (AC)
C – Duplicatas a Pagar/Fornecedores (PC)......................R$ (Valor Total)

VENDA DE MERCADORIAS A VISTA
D – Caixa (AC)
C – Vendas de Mercadorias/Receita de Vendas (Resultado)......R$ (Valor Total)

VENDA DE MERCADORIA A PRAZO
D – Duplicatas a receber
C – Venda de mercadorias

RECEBIMENTO DE DUPLICATA
D – Caixa (AC)
C – Duplicatas a receber

PAGAMENTO DE DUPLICATA
D – Duplicatas a Pagar/Fornecedores
C – Caixa (AC).....................................................R$ (Valor Total)

PAGAMENTO DE EMPRESTIMO
D – Empréstimos
C - Caixa

PAGAMENTO DE HONORÁRIOS
D – Honorários contábeis
C – Caixa

PAGAMENTO DE SALÁRIOS
D – Folha de pagamento
C – Caixa

PAGAMENTO DE ALUGUEL
D – Aluguéis
C - Caixa

ICMS NO MOMENTO DO RECOLHIMENTO
D – ICMS a Recolher
C - Caixa

ISS NO MOMENTO DO RECOLHIMENTO
D – ISS a Recolher
C – Caixa (AC)....................................................R$ (Valor Total)

SIMPLES NACIONAL NO MOMENTO DO RECOLHIMENTO
D – Simples Nacional a Recolher
C – Caixa (AC).....................................................R$ (Valor Total)

PIS QUANDO FOR FEITO O RECOLHIMENTO
D – PIS a Recolher (Passivo)
C – Caixa (AC)...................................................R$ (Valor Total)

COFINS QUANDO FOR FEITO O RECOLHIMENTO
D – COFINS a Recolher (Passivo)
C – Caixa (AC)....................................................R$ (Valor Total)

CSLL QUANDO FOR FEITO O RECOLHIMENTO
D – CSLL a Recolher (Passivo)
C – Caixa (AC)...........................................................R$ (Valor Total)

IRPJ QUANDO FOR FEITO O RECOLHIMENTO
D – IRPJ a Recolher (Passivo)
C – caixa (AC)...........................................................R$ (Valor Total)

ENTRADA DE VEÍCULO EM CONSIGNAÇÃO
D – Mercadorias em consignação
C – Consignadores

DEVOLUÇÃO DE VEÍCULO EM CONSIGNAÇÃO
D – Consignadores
C – Mercadorias em consignação

VENDA DE VEICULO RECEBIDO EM CONSIGNAÇÃO
D – Caixa (só a diferença)
D – Consignadores (o valor de entrada)
C – Mercadorias em consignação ( o valor de venda)

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS RECEBIDA A VISTA
D – Caixa
C – Serviços prestados

SÃO DESPESAS OPERACIONAIS OU ADMINISTRATIVAS (Resultado)
ALUGUEL
ÁGUA
LUZ
TELEFONE
ESCRITÓRIO DE CONTABILIDADE
SALÁRIOS DE EMPREGADOS
MATERIAL DE EXPEDIENTE
MATERIAL DE LIMPEZA
ENCARGOS SOCIAIS
CONTRIBUIÇÕES E DOAÇÕES
DESPESAS INCENTIVADAS
BENEFÍCIOS AOS EMPREGADOS
IMPOSTOS E TAXAS
ARRENDAMENTOS MERCANTIS
DEPRECIAÇÕES DOS BENS
DESPESAS DE CONSERVAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS BENS
PROVISÕES E MULTAS
PROPAGANDA E PUBLICIDADE
PAGAMENTO DE ROYALTIES
ASSISTÊNCIA TÉCNICA
DIVERSAS OUTRAS DESPESAS OPERACIONAIS

CONTROLE
 
Quanto ao aspecto controle, esse sistema pode ser de fato útil à empresa, mas a sua ausência não significa que essa empresa não tenha controle, uma vez que o controle pode ser feito de várias formas, com sistemas próprios, planilhas, etc.
 
O sistema de compensação tem como objetivo propiciar maior controle à empresa, permitir o registro de possíveis futuras alterações do patrimônio e, além disso, servir como fonte de dados para a elaboração das notas explicativas.
 
Assim sendo, as contas de compensação podem ser utilizadas para registro, entre outras, das seguintes operações:
 
1.Contratos de arrendamento mercantil;
2.Contratos de aluguel;
3.Contratos de avais, hipotecas, alienações fiduciárias;
4.Bens dados como garantia;
5.Subcontratações;
6.Contratos de seguros;
7.Contratos de financiamentos/empréstimos não liberados.
8.Consignação de mercadorias;
9.Remessa de títulos para caução.
 
As contas de compensação devem ser apresentadas com títulos bem elucidativos e com base em valores fixados em contratos ou documentação específica. Quando do término do contrato ou da operação que originou o registro contábil nas contas de compensação, as mesmas serão encerradas mediante lançamento inverso entre as contas que registram a operação.
 
Exemplos: 
1) Arrendamento mercantil:
Ao receber o equipamento, a empresa arrendatária nada registra em seu balanço patrimonial, podendo, para controle, apenas efetuar o registro nas contas de compensação:
D - Bens Recebidos em Arrendamento (Conta de Compensação Ativa)
C - Contratos de Arrendamento (Conta de Compensação Passiva)
 
2) Hipotecas:
A responsabilidade por hipoteca de imóveis pode ser registrada em conta de compensação da seguinte forma:
D - Imóveis Hipotecados (Conta de Compensação Ativa)
C - Hipotecas (Conta de Compensação Passiva)
 
3) Contratos de alienação fiduciária:
D - Contratos de Alienação Fiduciária (Conta de Compensação Ativa)
C - Responsabilidade Por Financiamentos (Conta de Compensação Passiva)
 
4) Contratos de consignação mercantil:
4.1) Mercadorias Consignadas (Quando a mercadoria é deixada) - aquele que remete as mercadorias:
D - Consignatários (Conta de Compensação Ativa)
C - Mercadorias Consignadas (Conta de Compensação Passiva)
 
4.2) Mercadorias Consignadas (Quando a mercadoria é devolvida) - aquele que recebe as mercadorias:
D - Mercadorias em Consignação (Conta de Compensação Ativa)
C - Consignadores (Conta de Compensação Passiva)

4.3) Mercadorias Consignadas (Quando a Mercadoria è Vendida)
D – Caixa (só a diferença)
C – Consignadores (o valor de entrada)
D – Mercadorias em consignação (o valor de venda)
 
5) Responsabilidade da empresa pelo endosso de títulos:
D - Títulos Endossados (Conta de Compensação Ativa)
C - Endossos Para Desconto (Conta de Compensação Passiva)
 
6) Responsabilidade pignoratícia da empresa:
D - Bens Penhorados (Conta de Compensação Ativa)
C - Penhores (Conta de Compensação Passiva)
 
7) Empréstimos com caução de títulos:
D - Títulos Caucionados (Conta de Compensação Ativa)
C - Endossos para Caução (Conta de Compensação Passiva)
 
8) Contratos de seguros:
D - Seguros Contratados (Conta de Compensação Ativa)
C - Contratos de Seguros (Conta de Compensação Passiva)

9) Financiamentos/empréstimos não liberados
D - Empréstimos/Financiamentos a Utilizar (Conta de Compensação Ativa)
C - Contratos De Empréstimos/Financiamentos (Conta de Compensação Passiva)
 
REVERSÃO DAS CONTAS DE COMPENSAÇÃO
Para reverter o lançamento, quando o evento que deu causa ao mesmo não mais existir, basta inverter o lançamento original.

Exemplo:
Término de contrato de seguro:
D - Contratos de Seguros (Conta de Compensação Passiva)
C - Seguros Contratados (Conta de Compensação Ativa)

Nossa Localização no Centro de Ceilândia

Loading...

Real-time Earth and Moon phase

Você é o Visitante nº